terça-feira, 24 de novembro de 2009

Nostalgia

Ontem estive a fazer limpezas aqui no escritório.
Estou a 1 semana de me ir embora, foram 3 anos a procurar uma vida melhor, novos desafios, projectos aliciantes, foram 3 anos bastante depressivos porque já não me sentia bem aqui.
Só o próprio ar que respiro é pesado, senti-me humilhada, escorraçada, e muito muito triste por saber que tanto dei a esta empresa e que afinal nada foi reconhecido.
Quando aqui entrei, e nos 2 anos que se lhe seguiram sentia-me em casa, achava que fazia parte de um projecto, encarava a empresa como sendo um filho, mas na verdade até os filhos nos desiludem mais cedo ou mais tarde.
Procurei durante muito tempo, passei muitas horas a enviar CVs, dei muita importância às notícias de jornal, para saber quais as empresas que valiam a pena, as que estavam a contratar, as que estavam a despedir, os grupos que se mostravam em ascensão, ou os que demonstravam decadência, todos os dias, todas as horas, todos os minutos eram poucos para procurar outro trabalho, tornou-se uma obsessão tal que devo ter os meus dados em todas as empresas assim assim do pais e da Europa.
Tornei-me tão completamente obcecada pela ideia que tive de me meter um travão, esquecer-me por uns tempos que a hipótese existia e acabar por me embrenhar no trabalho que fui aos poucos conquistando de volta e que começava a lentamente dar-me um novo ânimo.
Mas foi exactamente por esta altura e meses depois de ter deixado contacto num site internacional de uma multinacional americana que me ligaram a perguntar se ainda estaria interessada numa posição na área financeira.
Depois de 7 meses de entrevistas, e de viagens virtuais por Madrid, Casablanca, Dresden e outros que nem me recordo chegámos a acordo.
Não fiquei apenas feliz, fiquei em êxtase, porque tinha finalmente conseguido a chance que há tanto esperava.
Ontem estive a fazer limpezas aqui no escritório, e conclui que dei 5 anos da minha vida a esta casa e dei de mim, sem ser devidamente recompensada nem reconhecida, alturas houve em que me senti magoada, incompreendida, ofendida, com vontade de me vingar, porque o dia da vingança eu sabia que ia chegar.
A vingança podia chegar já esta semana, mas a verdade é que tudo o que sinto é nostalgia e a sensação de que vou sentir saudades do tempo que aqui passei, das pessoas com quem convivi, do muito que aqui aprendi
Ontem enquanto fazia limpezas aqui no escritório percebi o quanto esta empresa significa para mim, e percebi também que embora a vingança se sirva fria, não serve absolutamente para nada.

14 comentários:

Goldfish disse...

Nada como a liberdade de já nem precisarmos de vingança! Ela chega mas já não é necessária e, portanto, não fica em nós o travo amargo que sempre deixa atrás de si. Limpa, não deixes grande coisa para trás, mas também não leves nada contigo, nem o travo da vingança. Muito, muito boa sorte (outra vez) e espero que continues a ter tempo de alimentar este teu cantinho...

Pax disse...

Também já senti isso em relação à vingança: quando podemos já achamos que nem merece o esforço, que somos muito mais do que isso, que já nem sequer apetece.

Ainda que não conheçamos as pessoas com quem aqui comunicamos (e deve ser mais ou menos geral), é impossivel não sentirmos um carinho especial por elas. É o teu caso e, portanto, acredita que te desejo a maior sorte do planeta na nova faceta da tua vida! Vais conseguir dar o teu melhor e seres reconhecida por isso! E aí sim, a tua vingança terá sido servida!

Beijo!

TM disse...

O nosso local de trabalho pode ser péssimo.... pode ter condições deploráveis.... podemos ser pouco ou nada reconhecidos... mas ainda assim, no momento da partida, ficamos como uma nostalgia enorme.... porque até os maus momentos nos deixam marcas...

BlueVelvet disse...

Fico muito feliz. Sei o quanto isto era importante para ti.
Agora, que uma nova estrada vai começar, vais ver que depressa esquecerás o que aí passáste. A nossa memória é muito selectiva.
Parabéns, boa sorte e beijinhos

spritof disse...

Boa sorte!
:)



E... sim, a vingança não serve.
Tem muito sucesso... é do melhor!

Gata2000 disse...

Goldfish - Nada como poder continuar a dormir de consciência tranquila, na certeza de ter encontrado a esperança que há tanto buscava.
Quanto a este cantinho, tenho o mesmo receio, mas como diz a minha mãe eu consigo arranjar sempre tempo para tudo, a ver vamos!

Gata2000 disse...

Pax - è exactamente isso que sinto, que estarei vingada quando "vingar" no meu novo trabalho, dando um novo alento à minha vida.

Gata2000 disse...

TM - A verdade é que os ulimos 5 anos da minha vida foram passados aqui durante 22 dias por mês, 5 dias na semana, 7 horas por dia. Acabamos por passar mais tempo com os colegas de trabalho do que com a familia, e a empresa é mais a nossa casa do que o proprio lar, quer se queira quer não faz parte de quem somos, para o melhor e para o pior!

Gata2000 disse...

BlueVelvet - A estrada está à minha frente, pronta a ser explorada com todos os mistérios que se me irão deparar bem como com todas as dificuldades, calha-me trilha-la com todas as forças que tenho para poder fazer o meu futuro um pouco mais risonho.

Gata2000 disse...

spritof - the best revenge is success!

Pax disse...

Vai correr bem, eu tenho a certeza!

Gata2000 disse...

Pax - eu também! :)

spritof disse...

...and no other!

Cris... disse...

Tenho passeado pouco pela net ultimamente, e só agora li este teu post.
Força, miúda, vais ter a oportunidade que buscavas!
Mas não percas tempos em vinganças, mesmo que te tenhas sentido maltratada ai.
De nada serve, e só te cansa a alma os maus sentimentos.

Beijinhos e muita sorte na nova estrada!