segunda-feira, 2 de maio de 2011

Hoje

Em 2009 um amigo meu levou à discussão na Assembleia da República a eutanásia.

Lembro-me que estivemos juntos em Espinho e que cada um de nós argumentou da melhor forma o que pensávamos sobre o assunto, e sei que lhe disse que embora entendesse perfeitamente as motivações, nunca seria capaz de votar a moção dele de forma favorável.

Mas a vida muda-nos. Mudou-me em 1997 quando tive um acidente de automóvel, mudou-me em 2004 quando fui mãe, e mudou-me em 2011.

O meu avô lutou nos últimos 2 anos contra um cancro nos pulmões e conseguiu debelá-lo com radio, quimio e uma grande força de vontade, para além da capacidade que sempre teve de acreditar que era imortal. Mas passados 2 anos foi a vez do cancro ganhar.

Está há 1 mês internado, perdeu o controlo sobre as funções mais básicas, e tem progressivamente vindo a perder as faculdades. Deixou de se levantar ou sentar, está a usar fraldas, não consegue comer sozinho e a maioria das vezes, embora o visite todos os dias, não fala. Creio que as únicas 2 pessoas que ainda vai reconhecendo sou eu e a minha mãe.

Hoje M, acredito que seria capaz não só de compreender as tuas motivações, como também de contribuir com o meu voto favorável à tua causa. Porque a vida nos muda.

Já me vi confrontada com a morte noutras alturas, perdi a minha bisavó e a minha avó maternas, mas ambas sem sofrimento, embora a minha avó tivesse falecido como consequência de um cancro no estômago, nunca a vi degradar-se, hoje observo diariamente o declínio progressivo do meu avô, que nos últimos 10 anos tomou o lugar de meu pai, na ausência deste.

Foi ele que me levou ao altar, foi ele que serviu de exemplo ao meu filho, foi ele que me apoiou quando precisei.

Não sou uma pessoa religiosa, mas todas as noites peço a Deus que o leve, porque um dia todos morremos, pelo menos que o façamos quando ainda nos resta alguma dignidade.

6 comentários:

FATifer disse...

É realmente muito triste vermos alguém (ainda por cima alguém que gostamos) tornar-se uma sombra do que era. O meu avô também foi assim… é como dizes uma questão de dignidade, nenhum ser humano devia ter de passar por isso…

Um beijinho cheio de força e energia positiva para ti,
FATifer

Gata2000 disse...

Fatifer - então sabes do que falo e como me sinto. Beijinhos

TM disse...

Infelizmente o cancro é das doenças mais degradantes que existem....
E sim, compreendo perfeitamente essa sensação de "desespero".... e compreendo perfeitamente a perspectiva do teu amigo M.... vi demasiado sofrimento para não o compreender...
Um abraço apertado cheio de coragem e muita força, para te dar força quando ao lado do teu avô....

Gata2000 disse...

TM - Obrigada amiga, hoje ele já está, certamente, num sítio melhor.

Cris... disse...

Sinto muito, amiga.
Abraços!

Gata2000 disse...

Cris - Obrigada :)