segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Troca de correspondência, ou o que escrevem mães e filhas

From: Filha
Sent: sexta-feira, 4 de Setembro de 2009 15:01
To: Mãe
Subject: Olá

De vez em quando gosto de escrever os meus pensamentos positivos, para nos dias menos bons poder ir buscar a inspiração perdida. Hoje é um desses desses dias.

Esta semana foi uma boa semana.

Acordei todos os dias às 7 da manhã, consegui chegar a horas ao trabalho, conseguir organizar a vida de maneira a sair de casa com tudo arrumado, camas feitas, Puska passeada. Conseguir ir à ginástica e passear a Puska à hora de almoço, ir buscar o xani ao final do dia, ir às compras, passear a Puska de novo, fazer jantar, arrumar a loiça na máquina, lavar a restante, deixar a cozinha limpa e cheirosa, lavar roupa, estendê-la sem que ficasse 24 horas na cuba, com cheiro a flores e sabão e ainda deu tempo para sentar no sofá, ler umas páginas do livro, ter uma reunião política, deitar a cabeça na almofada e dormir o sono dos justos sem recurso a comprimidos.

Pela primeira vez em muito tempo, senti uma paz que não me lembrava de alguma vez ter tido, e tudo isto com apenas 1 ataque de ansiedade – causado pelas fugas e desaparecimentos ocasionais do Alexandre no supermercado.

Esta foi uma boa semana.

E por isso escrevo sobre as origens da minha inspiração. O marido que me dá amor, a Puska que me dá carinho, o Alexandre que me dá alento, tu que me dás coragem e o avô que me dá estabilidade. Estes são os pilares que me mantêm agarrada à vida, e que me têm dado a tranquilidade que preciso para poder dizer que:
Esta foi uma boa semana.

Queria que soubesses, que bati no fundo nos últimos meses e que não fui capaz de te contar, mas que estou de volta, de cabeça erguida como tu sempre me ensinaste, e com a inspiração que me transmites desde o dia em que nasci.

Obrigada.

--------------------------------------------------------------------------------

De: Mãe
Enviada: sexta-feira, 4 de Setembro de 2009 15:25
Para: Filha
Assunto: RE: Olá



Querida

Estás sempre a ocultar-me “coisas”, mas fico triste, eu sei que é para não me preocupares, mas quando as preocupações são partilhadas, custam menos. Mas também acho que não vale a pena queixar-me porque “nisso” não creio que vás mudar, (não sei a quem sais, a mim não é).

Mas o que importa é que já estás a recuperar, isso sim é de VALORIZAR.

Li com atenção o Plano doméstico…achei um espanto, e proponho que o continues, porque assim poupas muitos dos “pequeníssimos” incómodos que quando acumulados só servem para encher a cabeça de maus pensamentos e principalmente de mau ambiente familiar.

Vamos festejar a “retoma” da boa disposição?

Que fazemos este fim-de-semana?
Beijinhos

--------------------------------------------------------------------------------
De: Filha
Enviada: sexta-feira, 4 de Setembro de 2009 16:05
Para: Mãe
Assunto: RE: RE:Olá


Não oculto nada, só acho que não precisas de mais preocupações do que já tens, além do mais eu sei que é passageiro!

Estou a pensar limpar a casinha no sábado, ela está limpinha e se a manter é mais fácil.

No domingo o xani vai encontrar-se com uns amiguinhos da escola antiga às 17 horas e vamos almoçar na minha sogra para ela o poder ver.

Acho que nos podemos encontrar sim, se quiseres aproveitar para ir ver do fato que queres comprar vamos ou então tentamos ir ver uma das exposições que andamos para ver há mais de 1 mês, e há também um teatro gratuito no Domingo à noite, bem à porta de tua casa, no auditório. Vou ver se têm sites.

É apertado, com tanta correria louca de um lado para o outro, todos os fins de semana, mas para ti há sempre um espaçinho roubado a qualquer outro lado.

Beijos.

13 comentários:

Cristiana disse...

Gata,

Que bom teres assim uma amiga!

LBJ disse...

É bom ter esse tipo de cumplicidade :)

Beijos

K disse...

'Tás a ver como tens mesmo tanto de bom?!

PAULO LONTRO disse...

E aí estão os pilares... conserva-os, não têm substituição!
:)

Who Am I disse...

Lá venho com as minhas teorias...
adorei e tenho uma relação algo parecida com a minha mãe, embora acabe por ser ela mais a desabafar do que eu...e porquê? Às vezes não é não querer preocupar...pessoas como nós não nos agrada ser um peso para ninguém, não nos agrada não nos sentirmos resolvidas, independentes, não gostamos de dizer: Ajuda-me! E não é por orgulho, é apenas porque temos tanta consciência das nossa fragilidades, dos nossos quês, que achamos que passa e resolveremos. Só que às vezes não passa no tempo que seria razoável e em vez de pedir ajuda, andamos a mastigar, a mastigar, deixamos-nos bater no fundo...até...um dia em que acordamos e gritamos ao mundo:

Esta semana foi uma boa semana!

Que a vida te dê muitas mais é o que te desejo. Mesmo!

Beijinho grande menina corajosa

Gata2000 disse...

Cristiana - Não.
Amigas tenho muitas, mãe há só uma, e tenho a sorte de ter uma muito boa mãe que me ajuda quando preciso, que me dá colo e carinho, que depende de mim de uma forma quase abusiva, mas que eu deixo e até gosto, que me dá conselhos, que aprova ou desaprova as coisas que faço, a quem escondo mais do que devia, ou digo mais do que a conta.
Uma mãe maravilhosa, em suma!

Gata2000 disse...

LBJ - Não é só bom ter esta cumplicidade com a minha mãe, é uma forma de me manter sã, ou quem sabe, uma louca impoluta! ;)

Gata2000 disse...

K - Depois de ler os teus comentários, fico sempre com a sensação de que sou é muito tonta.
Uma tonta ingrata que se queixa da vida de barriga cheia!
E sei que sou. O problema é ter expectativas tão demasiado elevadas, que dificilmente atingo os objectivos que traço para a minha própria vida, e atrás disso vem o falhanço, o fracasso, o insucesso, a desilusão. Coisas que fui habituada a lutar, a contrariar, que só acontecem aos outros, mas que lamentávelmente contribui para que me acontecessem a mim.
Coisas para as quais não sei as armas a usar e que por isso fica dificil de combater.
Tonta de barriga cheia!

Gata2000 disse...

Paulo - Estão conservados em formol, a ver se não se desintegram. No dia em que os perder, as minhas fundações caiem por terra, e tenho de ficar à espera da salvação.LOL

K disse...

Opá! Opá! Eu não te quis chamar tonta ingrata! Tontinha, vá! Apenas me parece (daqui, ao longe, e que sei eu?) que talvez percas demasiado tempo e energia com as vicissitudes da vida e acabas a "esquecer" e não aproveitar em pleno aquilo que tens tanto de bom. E tu, se fores bem a ver, tens uma vida mais que rica! Afinal, não é o amor, em todas as suas formas, o mais importante? As pessoas que temos presentes na vida e que nos amam genuinamente e nos querem bem? Que nos fazem sorrir, que nos apoiam, que estão lá por nós? Bem, mas isto sou eu...

Nesta vida, já cheguei à conclusão há algum tempo atrás, que não há situações perfeitas e ideais, que não temos tudo aquilo que queremos e desejamos, mas que podemos muito bem aproveitar ao máximo tudo o que temos de bom e continuar a sorrir. De qualquer modo percebo-te. ;]

Gata2000 disse...

WAI - Haja quem me compreenda! A minha mãe já passou por muito na vida, e eu acho que se ela passou mais de metade da vida del a proteger-me, agora cabe-me a mim tornar-lhe a existência mais aprazível. Que o xani só por si já faz isso muito bem, e ela também não precisava de mim se eu não existisse, que tem uma força e uma coragem que me estimulam, mas eu existo e ela descansa em mim. E gosto!

Gata2000 disse...

K - Eu sei bem o que quiseste dizer. E sei que tens toda a razão. Eu também já percebi que devia viver a minha vida cada dia , como se fosse o ultimo, e aproveitar ao máximo as coisas boas que a vida já me deu. É o que tenho tentado fazer, sempre que consigo levantar a cabeça do chão.
claro que o mais importante da vida são as pessoas que nos acarinham e nos abraçam e nos dizem que estamos bonitas, e que nos dão a mão e nos fazem sorrir.
É claro que sou rica, nos amores, nos amigos e na familia, só que de vez em quando há dias em que ver isso não é assim tão fácil, para isso preciso de ti! :)

K disse...

Agora deixaste-me algures entre a gargalhada e a comoção (eu sou um coração mole, não me faças isso!!)!

Mas lembra-te que eu sou tão humana quanto tu e que também há alturas que me deixo ir um pouco mais abaixo; simplesmente faço porque me acompanhe a certeza que as coisas menos boas fazem tão parte da vida como as boas, e que por isso têm que ser igualmente sentidas, e que o amanhã é um novo dia, sendo que por vezes o novo dia é no próprio dia; faço por tentar não me esquecer do que tenho de bom, faço por não me esquecer de como sorrir e rir e gargalhar.

Sabes? Há uns anos atrás era uma tipa completamente diferente. Vivia centrada nas desgraças em processos idiotas e infindáveis de auto-comiseração como se ninguém gostasse de mim e todo o universo estivesse contra mim. Fartei-me tanto de mim mesma (também me disseram tantas na cara) e senti uma tal necessidade de encontrar um sentido para a vida, que me obriguei a mudar e a ter uma outra atitude. Digo-te, às vezes só o facto de ver uma borboleta a esvoaçar, sentir o sol na cara, ver o arco-íris ou as estrelas, faz-me sorrir e sentir-me abençoada. A beleza reside nas coisas mais simples. E eu já me estou a esticar e a fazer da tua caixa de comentários confessionário! Sorry!

Mas quando quiseres que eu te lembre que tens tanto de bom apita! ;]