domingo, 8 de março de 2009

Uma semana na vida de uma mulher


Acordo de manhã, esperguiço-me e levanto-me para aquecer o biberão do rapazinho, limpo o xixi que a porca da cadela fez durante a noite, e outras coisas se as houver.

Enquanto ele bebe o leite refastelado na minha cama, tomo banho.

Pego nele e vou sentá-lo na sanita, enquanto ele está entretido eu visto-me, volto à casa de banho para o vestir, dar-lhe os remédios para a tosse, para o nariz, as vitaminas para isto e as outras para aquilo, lavo-lhe os dentes, as mãos e a cara, penteio-o e perfumo-o.

Alexandre não chora, a mamã dá beijinho no joelho que magoaste ao atirares-te para o chão, brincadeira preferida nos últimos tempos, larga a Puska que agora não te quer dar beijinhos, entretanto lavo os dentes e a cara , penteio-me e perfumo-me. Arrumo os brinquedos que ficaram espalhados no chão do quarto, tiro a manta de cima do sofá da sala, desligo a televisão o DVD e a box da Tv Cabo da tomada, que gasta que se farta. Já não há tempo para maquilhagens, vai ter de ficar para amanhã.

Anda lá que vais chegar atrasado para a ginástica; não, não podes levar a trupe de brinquedos atrás; não chora que a mamã tem um livro no carro; sim eu deixo-te abrir o portão da garagem, mas vá lá deixa-me ir “depositar” a cadela no lugar dela, antes que chegue a casa e tenha as almofadas roídas e os tapetes encharcados, podes dar beijinhos no animal sim, e festinhas também, mas agora já chega.

Deixo o meu menino na creche e vou trabalhar. Das 9.30 ao meio dia e meio estou por conta dos fornecedores e da tesouraria.

Saio para pôr gasolina no carro, fazer as compras para o jantar, se der tempo ainda consigo comer uma sandes ou uma sopa, num dia realmente bom vou à cantina e tenho direito a sobremesa e tudo. Vou a casa deixar as compras, limpar o xixi da cadela, e outras coisas se as houver, apanho a roupa e estendo a roupa lavada, acho que ainda consigo fazer as camas, faço umas festinhas na Puska e volto a deixa-la inconsolável.

Trabalho das 14 às 18 agora estou por conta das reconciliações bancárias, das emissões de cheques e das notas de pagamento, saio a correr quando toca a última badalada das seis da tarde, se chego depois das 18.30 tenho de pagar prolongamento na creche, são 5 euros por cada meia hora a mais, a acrescer aos 300 euros mensais.

Trago o boneco para casa, arrumo a roupa seca nas gavetas ou no cesto para a lavandaria, que essa é uma ajuda preciosa que não dispenso, uma vez que já tive de dispensar a mulher-a-dias por falta de dinheiro.

Faço o jantar e ponho a mesa, enquanto a criança se passeia por mim de carrinho, triciclo, de balão, bolas, livros e com a cadela a reboque. O pai chega e na maioria das vezes é quem dá o banho, e ultimamente o jantar ao petiz também.

Janto, levo o rapaz para a cama, tento ler-lhe uma história, cantar-lhe uma canção, o que for para o manter calado, senão o berreiro é de 20 minutos.

Arrumo a cozinha, lavo loiça, ponho a restante na máquina, tento beber um café enquanto lavo as bancadas e ponho os restos do jantar em caixas hermeticamente fechadas no frigorífico. Recolho a roupa que está espalhada pela casa, ponho a roupa na máquina. Arrumo a casa de banho que ficou desaustinada depois do banho, os brinquedos que ficaram por arrumar ficam encostados num canto para de manhã os encaixotar, agora já não posso que ele dorme.

Sento-me na sala, são quase 23 horas e não sei onde se me foram as energias, tento ver um episódio de CSI, ou outra coisa do género, já não há cabeça para ver notícias.

Os dias mais descansados, são aqueles em que depois do trabalho rumo a Lisboa para o part-time eventual, trabalhar é um descanso, sem marido, filho nem cadela. As minhas folgas são o meu segundo emprego, que eu já fiz apenas por gozo mas que cada vez mais faço por dinheiro. E as manhãs de Sábado dão-me umas horas para mim, acordo cedo e vou ao yoga, medito, estico-me e ainda consigo ir tomar o pequeno almoço ao café, um pequeno luxo a que se me juntam os meus homens, e estou de volta à loucura do dia a dia, mas agora com a certeza de que vou ter à minha espera, a limpeza do pó, a lavagens das casas de banho e da cozinha.

No fim do dia, estou vencida pelo cansaço, o pai tratou de entreter o Alexandre, com sorte até aspirou e lavou o chão, poupando-me as costas. Amahã tento descansar, se não trabalhar no teatro vou passear com o babe depois de fazer o almoço e arrumar a cozinha enquanto ele faz a sesta, ou então acabo por me sentar no sofá, em frente à televisão a ver a primeira coisa que se me apresentar, com perguiça demais para sequer fazer os quadros de ponto cruz de que tanto gosto, e estão em stand by há muito tempo, ou mudar de canal.

8 comentários:

Cris... disse...

Miúda, tu precisas é de ir pa borga um dia destes.

Se precisares de amigas bem dispostas, é só apitar!
lol

Beijinhos e ânimo!

Gata2000 disse...

Cris - Eu preciso de uma borga em que chegue a casa, depois do pequeno almoço do dia seguinte, de preferência, de gatas!

Cris... disse...

Mas e de qual pensavas que eu falava?
lolol

Gata2000 disse...

Gata2000 - Então vá, bora lá!Miaus e boa semana para ti. Ah! e volta daqui a pouco que tenho um miminho para ti, 1kg de moreno e 1.5kg de louro, foi o que pediste não foi?

Cris... disse...

Eu queria para ai uns 80kg...mas isso seria já pedir demasiado!
ahahaha

Obrigadão na mesma.
Daqui a pouco volto.
Ah, se volto!!!

Gata2000 disse...

Amiga, 80kg é mais díficil, aqui faz-se o que se pode!

amantesmaria disse...

É nesse enredo admirável de rotinas diárias, que mesmo sem nos apercebermos, se pode esconder a maior felicidade.

Nota-se que impuseste uma toada extenuante à descrição das tarefas, mas espero que por detrás de cada uma delas te predisponhas para as eventuais delícias dos detalhes:

Porque o rapazinho na sua beleza crescente tem tiradas cada vez mais surpreendentes; e a cadela apesar dos xixis te dá mimos incondicionais; porque mesmo sem a maquilhagem te viste ser observada c interesse de olhares masculinos; Pq no meio do trabalho existe variedade de acontecimentos; Pq a gasolina está mais barata; Pq a receita do Jamie Oliver que experimentaste ao jantar te saiu mesmo bem e ele, repetindo duas vezes, se fartou de te gabar a precisão nos temperos; Pq nos agrada o sol que encandeia e o cheiro da roupa quando a estendemos; Pq te deixas comover com o desenho de riscos que ele te trouxe da creche, que representa a sua mamã querida; Pq as limpezas tb se podem revelar como espaço de meditação; Pq descobriste um esquema de ponto cruz que te enche mesmo as medidas, e o teu marido, percebendo, te beija e diz que leva o puto a passear enquanto de deixa a estudá-lo feliz por entre cores e linhas DMC...

Não te deixes invadir pelo esforço e atenta que é na forma como lemos a nossa vida que se nos condicionam os sorrisos.

Beijinhos

Gata2000 disse...

amantesmaria - acredita que me emocionei a ler o teu comentário. Sim é nas pequenas coisas da vida, nos pormenores, no toque leve de uma mão pela face, nos sorrisos, nos beijos roubados que se esconde a felicidade, mesmo que esta nos saia do corpo e nos extenue. Porque é nestes gestos rotineiros que a vida acontece, e será por estas recordações que choraremos um dia, depois de morrer.