terça-feira, 7 de julho de 2009

O carro e os cornos

Manuel Pinho foi o motor da revolução eléctrica – decisiva para a diminuição do aquecimento global.

Conheci o ministro Manuel Pinho no início da semana passada. Fiz parte do grupo das primeiras vinte câmaras que assinaram com o Governo o protocolo de arranque da rede eléctrica de apoio aos novos automóveis, amigos do ambiente, que estão a chegar.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

A comunicação social deu ao assunto menos importância do que à transferência de um jogador banal e muito menos do que à morte do Michael Jackson. Pouco importa. Naquela segunda-feira, no Pavilhão de Portugal, o Governo de Sócrates assinou a sua entrada para a História. E o motor dessa revolução eléctrica foi Manuel Pinho. Foi com emoção que o cumprimentei e agradeci.

Mal o conhecia e conheço. Apenas por leituras apressadas de historietas sobre o seu comportamento atípico. Cinco dias depois, respondendo a uma falsidade que lhe era imputada por um deputado comunista, lá tornou a ser atípico, e no calor da discussão enviou-lhe um par de cornos. Fez mal. Os cornos não se enviam daquela maneira. Não sei se a Assembleia da República celebrou o contributo de Portugal para este esforço mundial, que vai dos Estados Unidos à China, para a diminuição das emissões do dióxido de carbono. Mas celebrou com forte chiadeira o par de cornos. Está certo. Conclui-se que os nossos deputados sabem muito, e ofendem-se com razão, de cornos e encornanços e pouco lhes interessa a revolução ambiental que vai modificar o País. Um dia, quando a sensatez chegar, quando a nossa frota automóvel estiver pejada de carros eléctricos sem ruído e sem emitir gases tóxicos, saber-se-á que foi um senhor chamado Manuel Pinho, o grande propulsor da nova era. Despedido com justa causa porque enviou um par de cornos a uma criatura qualquer.

Artigo no Correio da Manhã de Moita Flores, presidente da Câmara Municipal de Santarém, eleito como independente nas listas do PSD

11 comentários:

Who Am I disse...

And I think to myself.... what a wonderful world...

(ler com tom irónico)

TM disse...

Realmente nós somos um povo estranho...

V!tor disse...

Está ainda por esclarecer se o Ministro Pinho enviou um par de chifres ou de cornos a Bernardino Soares.
A companheira de Bernardino Soares também ainda não confirmou a injustiça de tal cortesia.

Oh Dúvidas lancinantes!

Gata2000 disse...

WAI - É sempre assim, somos julgados pelo melhor que há em nós!

Gata2000 disse...

TM - Como diria o asterix: "estes lusitanos são loucos"

Gata2000 disse...

Vitor - Eu esclareço-te o ministro estava a falar da necessidade de protecção dos animais nas touradas, o deputado perguntou, quais animais e eles exemplificou, que eram os bois.Mas foi totalmente mal entendido, até porque na realidade ninguém quer saber de chamar os bois pelos nomes

PAULO LONTRO disse...

Ele estava a dizer ao tal deputado que os tais autos poluem menos que os carros de bois, é que esses, até merda vão espalhando...

Gata2000 disse...

Paulo - LOL e em vez de se aproveitar para a produção de gás metano, não...é falta de visão!!!

Pax disse...

Eu estive uns tempos entre Marte e Jupiter e só soube dessas coisas depois de já terem corrido mundo... mas, realmente, o que mais importa aos terraqueos não tem nada a ver com o que DEVERIA SER, de verdade, importante para os mesmos. E quando coincide é pura coincidência mesmo!

Gata2000 disse...

Pax- é caso para dizer que mais vale parecê-lo do que sê-lo!

Pax disse...

Sim! Em casos que metam cornos, vale mais mesmo! Lololol